Poesias CXLVIII-CL do livro 'Os meninos jaguar' de Marcia Theophilo

CXLVIII

de madrugada Ubirajara abre os seus olhos
facas-punhais se entrevêem
o menino jaguar vê o seu braço ferido
e o lambe continuamente
com o dedo da mão na boca
pensando

CXLIX

uma diversa luz aparece
estão mais perto e intensas as cores
o céu está mais perto
e também os sons
sim, são diversos
diferentes, os sons

CL

em pé os meninos guerreiros nas praças
movem-se em bando
uma bolsa ou máquina de filmar
frutos recolhidos na metrópole:
para trocar com buriti, araçá, banana

 

Márcia Theóphilo - 1994

poesia de Os meninos jaguarpoesia de Os meninos jaguar
precedente
sucessiva