Poesia "Tatu-bola" do livro "Kupahúba" de Marcia Theophilo

Guerreiro engraçado
encouraçado e cauto
trabalho cotidiano
de grande cavador
relíquia, ele, seu corpo
em noites de luar
mete-se pela terra adentro
beleza antiga, bicho medroso
hábil, joga a terra p'ra trás
seu abrigo, habitação
seu túnel, o protege do dia
aparece na boca-da-noite
dentro da terra, o teto cônico
à sua disposição
tatu-bolinha, bola
redonda música que não
acaba, sobrevive em roda
por horas a fio
eles dentro da terra
marcam o ritmo dos trocanos
suspenso dentro-fora daterra
tatu-bola tocador.

Márcia Theóphilo, 1999

 

sucessiva precedente sucessiva topo precedente
poesia Tamanduá-bandeirapoesia O vento
precedente
sucessiva