Poesia "O vento" do livro "Kupahúba" de Marcia Theophilo

E o vento continua
devorando a noite
ali esta real a mutável
dentro dele a música dos ramos

Quando o vento chega
expande sonoridades
desfolhado o seu corpo
o vento ondeia os ramos
o corpo do vento envolve e encurva,
estende. Amado corpo
abstratas e concretas suas folhas
derramam-se sinuosas
uma cascata de vento dentro do bosque.
Eu danço e tu?
soa, baila, assobia, canta,
esta entre as árvores
nasce como um fruto
nasce como uma criança
as suas risadas tem o ritmo
da água na pedra
antes doce quase monótona
depois forte e plena de ressonâncias.

Márcia Theóphilo, 2000

 

sucessiva precedente
poesia Tatu-bolapoesia Floresta meu dicionário
precedente
sucessiva
sucessiva topo precedente