Poesia "Jujuba" do livro "Basta! que falem as vozes" de Marcia Theophilo

O vinho se derrete na boca e cai
por entre os lábios se derrama
e a conversa inicia
misturada a um canto de passarinho
naturalmente escondido
entre os dedos
ou urna borboleta cheia de cores
entre seus olhos
urna fruta despenca de seus cabelos
e ele nos oferece
os olhos amadurecem
e se tornam tão tenros,
que seria fácil mastiga-los
lentamente
como uma jujuba oferecida
com desenhos e comidas russas

roda de crianças
que cirandam entre nós
quando ele fala
urna hora ele corre
e se põe a jogar bolas de gude
com seus olhos
que se tornam machucados
doendo
negros
como todo ele é
com a mesma ternura

o sol e o verme
estão dentro dele
com a mesma veemência

Márcia Theóphilo, 1970

Poesia dedicada a Otavio Araujo


poesia O homem do futuropoesia raizes
precedente
sucessiva

sucessiva precedente

sucessiva topo precedente