Poesia 'O homem do futuro' do livro 'Basta! que falem as vozes' de Marcia Theophilo

Nem foi preciso escutar suas canções
para que tivesse certeza
os segredos a gente guarda através
de iluminuras enquadradas

cercado de fantoche medrosos
descobre sua verdadeira identidade

o gelo se derrete
arrebenta em lágrimas
diaenoite existem como entidades primárias
não tem ligação
nenhuma com a terra
nem raízes
junto com os mais estranhos seres
que se assimilam inteiramente
toma outro rumo
perde sua primeira limitação
da pedra em que se transformou
a incoerência de tantas pessoas
se desintegrando pela falta de coragem
de usar as verdadeiras mãos no encontro
com a água a terra e o orgasmo
que vai descobrir o homem do futuro

Marcia Theóphilo

Poesia dedicada a Ubirajara
Catalogo 1971, São Paulo

sucessiva precedente

sucessiva topo precedente

poesia Equadorpoesia Jujuba
precedente
sucessiva